CONHECIMENTO DE BOAS PRÁTICAS DE FABRICAÇÃO EM PIZZARIAS DO MUNICÍPIO DE BARRA DO GARÇAS-MT

Michelle Marinho dos Santos Mineli, Keily de Moura Oliveira keily, Glauco Vieira de Oliveira

Resumo


Este trabalho teve como objetivo avaliar o conhecimento sobre boas práticas de fabricação em pizzarias, e verificar a qualidade microbiológica de dois sabores de pizza comercializadas em sete pizzarias localizadas no município de Barra do Garças MT.  As pizzarias foram classificadas de acordo com a nota obtida em porcentagem de adequações do check-list: Três pizzarias foram classificadas como muito bom, duas como regular e duas como deficientes. Para análise de S.aureus apenas uma amostra apresentou contagem superior ao estabelecido pela legislação vigente (4,0x10³UFC/g). As análises realizadas nas mãos de manipuladores demonstraram valores até 8,5x10³UFC/mão para S.aureus e até 28NMP/mão para coliformes termotolerantes. Não foi detectada a presença de Salmonella em nenhum manipulador.


Texto completo:

PDF

Referências


ANDRADE, N.J. Higiene na indústria de alimentos: avaliação e controle da adesão e formação de biofilmes bacterianos.São Paulo: Varela, 2008, 400p.

APHA - AMERICAN PUBLIC HEALTH ASSOCIATION.Compendium of methods for the microbiological examination of foods.4. ed. Washington, DC, 2001. 676p.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria nº 1.428/MS, de 26 de novembro de 1993. Estabelece as orientações necessárias que permitam executar as atividades de inspeção sanitária, de forma a avaliar as Boas Práticas para a obtenção de padrões de identidade e qualidade de produtos e serviços na área de alimentos com vistas à proteção da saúde da população.Diário Oficial [da] União Federativa de 26/11/1993.

BRASIL. Ministério da Saúde. Portaria n. 326, de 30 de julho de 1997. Aprova o regulamento técnico sobre as condições higiênico–sanitárias e de boas práticas de fabricação para estabelecimentos produtores/industrializadores de alimentos.Diário Oficial [da] União Federativa de 01/08/1997a.

BRASIL, Ministério da Agricultura. Instrução Normativa n° 368, de 04 de setembro de 1997.Regulamento Técnico sobre as condições Higiênico-Sanitárias e de Boas Práticas de Fabricação para Estabelecimentos Elaboradores / Industrializadores de Alimentos.Diário Oficial [da] União Federativa de 04/09/1997b.

BRASIL, Ministério da Saúde. Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Resolução RDC n. 12, de 02 de janeiro de 2001. Aprova o regulamento técnico sobre padrões microbiológicos para alimentos. Diário Oficial [da] União Federativa de 02/01/2001.

BRASIL. Resolução RDC nº275, de 21 de outubro de 2002. Dispõe sobre o Regulamento Técnico de Procedimentos Operacionais Padronizados aplicados aos Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos e a Lista de Verificação das Boas Práticas de Fabricação em Estabelecimentos Produtores/Industrializadores de Alimentos.Diário Oficial [da] União Federativa de 06/11/2002.

BRASIL, Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Coordenação Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Guia alimentar para a população brasileira: promovendo a alimentação saudável. Brasília: Ministério da Saúde, 2006.

CONSEA-Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional. Princípios e diretrizes de uma política de Segurança Alimentar e Nutricional. In: Conferência nacional de segurança alimentar e nutricional, Gráfica e Editora Positiva. Brasília, julho de 2004. 80p.

EVANGELISTA, J. Tecnologia de alimentos. São Paulo: Editora Atheneu, 2008

FRANCO, B.D.G.M. LANDGRAF, M. Microbiologia de Alimentos. São Paulo. Editora Atheneu, 2008.

ORGANIZAÇÃO MUNDIAL DA SAUDE – OMS. Segurança Alimentar. Disponível em Acesso em: 07 de JULHO de 2012.

PINTO, A. Doenças de Origem Microbiana Transmitida pelos Alimentos. Millenium-Revista do Instituto Politécnico de Viseu, v. 4, p.91-100, 1996.

RODRIGUES, K.L. GOMES, J.P. CONCEIÇÃO, R.C.S. BROD, C.S CARVALHA, J.B. ALEIXO, J.A.G. Condições Higiênico-Sanitárias no Comércio Ambulante de Alimentos em Pelotas-RS. Ciência e Tecnologia de Alimentos, Campinas v.23, n°.3,p.447-452. set/dez 2003.

SERAFIM, L.C. Implementação da ferramenta “Boas Práticas de Fabricação” na produção de polpas de frutas. Revista de Ciências Exatas, Seropédica, RJ, EDUR, v. 27, n°. 1-2, p. 00-00, 2008.

SILVA JUNIOR, E.A.Manual de controle higiênico-sanitário em serviços de alimentação. 6ª Edição Revisada e Ampliada, São Paulo: Varela,2005.623p. 2005.

SOUZA, E.L.; SILVA, C.A. Qualidade Sanitária de Equipamentos, superfícies, água e mãos de manipuladores de alguns estabelecimentos que comercializam alimentos na cidade de João Pessoa, PB. - Higiene Alimentar, v.18, n°116/117, p. 98-102, jan.-fev. 2004.

VALENTE, D.; PASSOS, A. D. C. Avaliação crítica da ficha de inspeção em estabelecimentos de área de alimentos. Revista Higiene Alimentar, v.17, n°.111, p.37-48, agosto 2003.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.