DESENVOLVIMENTO E ESTUDO DA ESTABILIDADE DE MICROEMULSÕES CONTENDO EXTRATO DE Cúrcuma longa L.

Danilo Souza Dias, Carolina Carnicel

Resumo


Microemulsões são sistemas estabilizados por agentes tensoativos e co-tensoativos, termodinamicamente estáveis. Uma das suas grandes vantagens é a melhoria na biodisponibilidade do medicamento e na absorção do fármaco. Os produtos naturais possuem uma grande quantidade de vitaminas, oferecendo inúmeras vantagens ao nosso corpo e nossa saúde. O açafrão, além de ser bastante utilizado na culinária, tem um grande poder medicinal. Para o desenvolvimento dos sistemas foram utilizadas duas formulações de microemulsão, contendo diferentes proporções de Miristato de isopropila, água e tensoativos Span 80, Tween 80 e co-tensoativo etanol. Adicionou-se o extrato de Cúrcuma longa L. diretamente nas amostras sob agitação magnética. O estudo de estabilidade preliminar foi feito durante 14 dias alternando os meios (geladeira/estufa) a cada 24 horas. Foi realizada também a avaliação de atividade antifúngica em quatro espécies de Candida distintas. As microemulsões foram consideradas estáveis após estudo as espécies de candida e mostraram-se parcialmente sensíveis as formulações.


Texto completo:

PDF

Referências


ALEXANDRE, M, R. Espectrometria molecular uv-vis. Universidade Federal de Sergipe, Aracaju, Sergipe: 33 p. 2012.

BARROS, A. R. A. Desenvolvimento caracterização e atividade antifúngica de microemulsões O/A contendo anfotericina B. Universidade Estadual de Paraíba Campus I – Campina Grande, Campina Grande, Paraíba: 49 p. 2013

CARNICEL, C. Preparação e caracterização de microemulsão contendo fluconazol. Universidade Federal do Mato Grosso Campus Universitário do Araguaia, Barra do Garças, Mato Grosso: 65 p. 2014.

DASMACENO, B. P. G. L. Sistemas microemulsionados como carreador lipídico para fármacos insolúveis. 2010. 61f. Tese (Doutorado em Ciências Farmacêuticas) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas. Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Rio Grande do Norte, 2010.

FRANZINI, C. M. Estudo de microemulsões e subemulsões contendo anfotericina B para administração oral. 142 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Farmacêuticas) – Programa de Pós-Graduação em Ciências Farmacêuticas, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Araraquara, 2006.

GOMES, D.A.A. Aplicação de Microemulsões na Solubilização de Frações Pesadas de Petróleo. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Engenharia Química da Universidade Federal do Rio Grande do Norte para obtenção do título de Mestre, 2009.

HYDE,S.T. Identification of lyotropic crystalline mesophases. In: HOLMBERG, K. Handbook of Applied Surface and Colloid Chemistry. New York: John Wiley & Sons, 2001.

MAIA, N. B. A Cúrcuma como corantes. In: SEMINÁRIO DE CORANTES NATURAIS. Campinas. Resumos. Campinas, ITAL, 1991. p.65

OLIVEIRA, Anselmo Gomes, et al. Microemulsões: Estrutura e aplicações como sistema de liberação de fármacos. Universidade Estadual Paulista, Araraquara, São Paulo: 131 p. 2003.

PINTO, C. A.; BOLZANI, V. S.; SILVA, D. H. S.; LOPES, N. P.; EPIFANIO, R. A. Produtos naturais: Atualidades, desafios, perspectivas. Química Nova, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 45-61 2002.

PINTÃO, A. M.; SILVA, I. F. A verdade sobre o açafrão. Lisboa: Instituto de Investigação Científica Tropical, 2008.

RAVEN, P. H.; EVERT, R. F.; EICHHORN, S. E. Biologia Vegetal. Rio de Janeiro, Guanabara Koogan, 5 ed. 728p. 1992.

RIBEIRO, E. B. Desenvolvimento de sistemas microemulsionados para veiculação oral de Cloridrato de Levamisol e avaliação de seu potencial imuno modulador. Dissertação apresentada ao Programa de Pós-graduação em Ciência de Materiais da Universidade Federal de Mato Grosso, 2013, 94 páginas.

ROSSI, Catia Guaraciara Fernandes Teixeira, et al. Microemulsões: Uma abordagem básica e perspectivas para aplicabilidade industrial. Universidade Federal do Rio Grande do Norte. Natal, Rio Grande do Norte: 22 p. 2007

SCHULMAN, J.H.; ROBERTS, T.S.Transactions of the Faraday Society, 42b, p.165, 1976. In: ROBB, I.D.: Microemulsions. New York: Plenum Press, 1982.

STEFFEN, S. J. Plantas Medicinais: Usos populares tradicionais. Instituto Anchietano de Pesquisas/UNISINOS. São Leopoldo, Rio Grande do Sul: 76 p. 2010

TADROS, T.; IZQUIERDO, P.; ESQUENA, J.; SOLANS, C. Formation and stability of nano-emulsions. Advances in colloid and interface science, v. 108-109, p

. 303–318, 2004.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.